menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Uma em cada 6 pessoas terá AVC. Veja fatores que aumentam o risco da doença

iStock
Imagem: iStock

Gabriel Luccas

Colaboração para o VivaBem

22/02/2018 04h00

Popularmente conhecido como derrame, o acidente vascular cerebral (AVC) está entre as principais causas de morte do mundo. A Organização Mundial de AVC (World  Stroke  Organization) prevê que uma em cada seis pessoas terá o problema ao longo da vida. No entanto, o estudo Interstroke, realizado em conjunto por diversas instituições internacionais, revela que 90% dos casos poderiam ser evitados com hábitos de vida saudável, capazes de eliminar boa parte dos fatores que agravam o risco de AVC. 

Veja também

O que é a doença

O acidente vascular cerebral é caracterizado pelo entupimento ou rompimento de vasos que levam sangue ao cérebro, comprometendo seu funcionamento adequado. “Aproximadamente 25% das pessoas que sofrem derrame morrem. E cerca de 70% dos sobreviventes têm algum tipo de sequela, como perder a capacidade de andar”, explica Eli Faria Evaristo, neurologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

7 FATORES QUE AUMENTAM O RISCO DE AVC

1 - Hipertensão arterial

É considerada o principal fator de risco de derrame. A pressão alta, associada a outras complicações, lesa pequenos e grandes vasos sanguíneos. Isso pode favorecer a formação de placas e interromper a passagem do sangue que vai ao cérebro. Fazer exercícios regularmente, ter uma boa alimentação e controlar o estresse são algumas das recomendações para evitar a hipertensão arterial. 

2 - Apneia do sono

iStock
Imagem: iStock

Caracterizado por episódios de interrupção da respiração enquanto se dorme, o problema prejudica o descanso --o que tende a aumentar o estresse no organismo -- e altera os batimentos cardíacos durante a noite. Em longo prazo, a apneia pode gerar hipertensão e outros fatores que aumentam o risco de AVC, como ganho de peso. 

3 - Colesterol alto

O nível de colesterol elevado tende a gerar o endurecimento dos vasos sanguíneos e a formação de placas que podem entupir veias e artérias, inclusive as que irrigam o cérebro.

4 - Diabetes

Considerada uma das principais vilãs do AVC, a doença causa lesões nas paredes das artérias e traz alterações circulatórias. Também está associada a diversos outros fatores de risco, principalmente a hipertensão arterial e o sobrepeso.

5 - Obesidade e sedentarismo

iStock
Imagem: iStock

Os quilos a mais estão associados à hipertensão arterial, colesterol elevado e diabetes. Como você sabe, a falta de atividade física favorece o ganho de peso. Além disso, ao levar uma vida sedentária, a pessoa deixa de obter melhoras que a prática regular de exercícios traz para o sistema cardiovascular, que ajudam a prevenir o AVC. O indicado é controlar a alimentação e fazer 30 minutos de atividade física por dia. Se não gosta de treinar, você pode adotar táticas como trocar o elevador pela escada, passear com o cachorro, ir trabalhar de bike ou descer do ônibus alguns pontos antes e caminhar até sua casa. 

6 - Tabagismo

As toxinas do cigarro podem gerar lesões nos vasos sanguíneos. Os médicos recomendam evitar o cigarro mesmo em pouca quantidade. Até o fumo passivo e a poluição de grandes cidades são capazes de aumentar o risco de AVC. 

7 - Idade e genética

São duas coisas que você não pode evitar. Portanto, se houver casos de derrame na sua família, mantenha hábitos saudáveis e tente ficar longe dos outros fatores que aumentam a chance de AVC. A recomendação vale para a vida toda, mas deve ser seguida com maior afinco após a faixa dos 30 a 37 anos. "Nesse momento o organismo atinge o ápice do funcionamento e, a partir de então, passa a precisar de mais cuidados”, diz Tiago Sowmy, neurologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy