menu
Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito

Andar com o cachorro e fazer jardinagem prolongam a vida de idosos

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do VivaBem, em São Paulo

20/02/2018 15h28

Poucos minutos de atividade física em baixa intensidade, como caminhar com o cachorro, reduzem significativamente o risco de mortalidade em idosos. É o que revela um novo estudo publicado no British Journal of Sports Medicine.

A recomendação do CDC (Centros para Controle e Prevenção de Doenças) é de que adultos com 65 ou mais anos façam 150 minutos de atividade física aeróbica semanal, em intensidade moderada. O órgão também aconselha a prática de exercícios de fortalecimento muscular ao menos duas vezes por semana.

Veja também

No entanto, como essa quantidade de atividade física é difícil de ser alcançada, pesquisadores da University College London, na Inglaterra, tentaram examinar se "doses" mais baixas de exercício também seriam capazes de reduzir a mortalidade em idosos.

A equipe recrutou 1.181 homens com 78 anos, em média. Eles usaram um acelerômetro -- dispositivo que mede a quantidade e a intensidade da atividade física --, foram examinados fisicamente e responderam perguntas sobre estilo de vida, histórico de doenças, padrão de sono e dieta.

Os pesquisadores acompanharam os voluntários durante cinco anos e 194 voluntários morreram no período.

Em geral, o estudo descobriu que para cada 30 minutos adicionais de exercício leve por dia, o risco de morte diminuiu 17%. Essas atividades leves incluíam levar o cachorro para caminhar e jardinagem.

Ainda que os autores do estudo observem algumas limitações à sua pesquisa, eles acreditam que o importante é saber que mesmo as atividades leves também são benéficas para os idosos. "A descoberta de que [atividade física de baixa intensidade] está associada a menor risco de mortalidade é especialmente importante entre os homens mais velhos, já que a maior parte de sua atividade física diária é de intensidade leve", acredita Barbara Jefferis, líder do estudo.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy