menu

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Estudo diz que frequentar manicure aumenta risco de infecção por fungos

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do VivaBem, em São Paulo

2017-12-15T14:32:27

15/12/2017 14h32

A maioria das mulheres sabe que o salão de beleza pode ser uma verdadeira "mão na roda" em meio a uma rotina corrida, especialmente quando precisamos de unhas bonitas e de praticidade. Mas uma pesquisa recente descobriu que dá para pegar outra coisa durante todo esse processo: uma baita infecção por fungos.

Esse foi o principal resultado encontrado em um novo estudo publicado no Journal of Chemical Health and Safety. Para o trabalho, pesquisadores da  Universidade Estadual de Nova Jérsei (EUA), também conhecida como Universidade de Rutgers, avaliaram 90 pessoas que haviam frequentado salões de beleza na cidade norte-americana.

Veja também:

Eles questionaram sobre as experiências dessas pessoas com sintomas respiratórios, fúngicos e de infecção da pele após uma visita a estabelecimentos do tipo. Os pesquisadores descobriram que 52% dos participantes do estudo tiveram alterações dérmicas, erupções cutâneas ou problemas nas unhas, além de sintomas de infecção fúngica.

Esses eram mais comuns entre as pessoas que haviam frequentado o salão ao menos três vezes no último ano. Por outro lado, os clientes que relataram menos de três idas por ano estiveram mais propensos a terem sintomas respiratórios após uma visita, algo que, de acordo com os próprios pesquisadores, tornou menos provável um retorno ao salão.

Falta de cuidados

As ferramentas que são limpas incorretamente ou reutilizadas podem trazer riscos de desenvolver dermatite de contato (reação inflamatória na pele decorrente da exposição a um agente capaz de causar irritação ou alergia), além de expor a pessoa a bactérias, fungos, vírus e até hepatites B e C.

E não é apenas isso: esses clientes podem ser expostos à luz UV, ter uma infecção respiratória por má circulação do ar, além de sofrerem com reações alérgicas a itens que contenham formol (como os alisantes de cabelo), entre outros produtos químicos.

Mas, calma! Antes de entrar em pânico e jurar nunca mais nem passar na frente de um salão, saiba que o estudo é baseado em descobertas iniciais e teve o tamanho de amostra bastante pequeno, explica Derek G. Shendell, professor associado do Departamento de Saúde Ambiental e Ocupacional da Escola Rutgers de Saúde Pública, e co-autor do trabalho.

Será que é seguro?

Getty Images
Imagem: Getty Images

Para quem ficou preocupado com a limpeza do salão de beleza que frequenta, outra co-autora do estudo, Judith Graber, que é Ph.D. e professora assistente da Escola de Saúde Pública da Rutgers University, recomenda reparar na limpeza geral do estabelecimento.

Além disso, é importante certificar-se de que o estabelecimento esteriliza seus instrumentos (cortadores de unha, tesoura, etc.) após o uso em cada cliente em um aparelho chamado autoclave. Ou melhor: traga os seus próprios objetos de casa. E, claro, se você sente que o salão que visitou não é tão limpo quanto deveria ser, procure logo por outro.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
 
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy