Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Você dorme com seu cachorro ou gato na cama? Melhor mudar de hábito

iStock
Imagem: iStock

Gabriela Ingrid

Do VivaBem

30/11/2017 09h15

Quem tem bichos de estimação sabe que eles podem ser como uma sombra, seguindo o dono para lá e para cá --até mesmo no banheiro. O grude, no entanto, pode tomar proporções maiores, e alguns donos permitem que os animais durmam em suas camas. Mas será que isso não faz mal para a saúde?

“Os animais contêm quantidades e tipos de bactérias que podem ser altamente nocivas ao contato com as mucosas humanas”, diz Maria Cândida Rizzo, coordenadora do Departamento Científico de Rinite da ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia).

Veja também:

Com os bichinhos em sua cama, ela se torna um epicentro alérgeno e você inspira essas partículas perigosas oito horas por noite. Isso pode ser uma bomba para o seu sistema imune, que é preparado para ter uma reação exagerada a essas substâncias --um estudo, publicado em 2014 no periódico Allergy, Asthma and Immunology Research, mostrou que ratos expostos a alérgenos por muito tempo tiveram altos níveis de inflamações graves.

De acordo com Maria, essas bactérias estão por todo o corpo do bichinho, nos pelos, nas patas, na região genital e na saliva. E, independente se o dono for alérgico ou não, o contato próximo deve ser evitado. “Elas podem causar vários problemas respiratórios como amidalites, otites, sinusites e pneumonias.”

iStock
Cães e gatos têm bactérias espalhadas por todo o corpo, por isso é melhor deixá-los dormindo sozinhos (e fora da sua cama) Imagem: iStock

Ter um bicho de estimação faz bem

Mas nada de se desesperar! Apesar de dormir com o cachorro ou gato não ser recomendado, o convívio domiciliar com os pets, de modo geral, não causa problemas. Estudos mostram que ter um animal de estimação pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares e até de morte.

E o quanto antes for esse contato, melhor. “Ter um bicho em casa nos primeiros anos de vida poderá, inclusive, atuar como fator de proteção para o desenvolvimento de alergias respiratórias”, diz Maria.

Quem já tem alergia, segundo a médica, deve evitar a proximidade, já que o contato direto com os alérgenos dos animais piora o quadro. No entanto, quem não tem manifestações alérgicas respiratórias ou sensibilização a cães e gatos, não há nenhum problema no convívio domiciliar.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Agência Estado
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Agência Estado
do UOL
Agência Estado
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Agência Estado
AFP
do UOL
do UOL
Topo