Viva Bem

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

"Troquei a bariátrica por treino ao ar livre que me ajudou a perder 40kg"

Juliana Vaz

Colaboração para o UOL

30/11/2017 04h05

O paulistano Vagner Morais Júnior, de 27 anos e 1,79 m, emagreceu 40 kg em 12 meses, sem medicamentos nem cirurgia. Hoje ele tem certeza de que, com determinação e uma rede de apoio, pode conquistar qualquer objetivo.

“Desde pequeno, era acima do peso. Aos 12 anos, fui diagnosticado com espondilolistese, uma má-formação na vértebra da coluna. O problema costuma aparecer em pessoas de meia-idade e, de cara, recomendaram cirurgia. Fui levado a uns sete especialistas e todos diziam ‘Ou você emagrece ou vai ter que operar’. Então, desde adolescente, lutava para perder peso, porque a cirurgia era arriscada e queria fugir dela.

Aos 26 anos, após tanto tempo evitando a operação, senti que não dava mais para escapar, já que a dor na coluna estava cada vez pior, mesmo tomando remédio. Além disso, não aguentava mais o bullying por conta da minha forma física.
As pessoas me chamavam de mamute, de gordão. Quando você é gordo, parece que ninguém mais te chama pelo nome. 

imagem: Reprodução Instagram

Quando cheguei aos 120 quilos, procurei um especialista com a certeza de que a bariátrica era a solução. Afinal, perderia peso depressa e de quebra melhoraria o problema da coluna. Quando o médico disse que precisava ter no mínimo o IMC 35 para receber a indicação da cirurgia, tentei engordar, já que meu IMC era 34.
Na tentativa de ganhar peso e fazer a bariátrica, comia fast-food todos os dias.

Era junho de 2016, e meu peso não mudava, então, questionei o caminho que havia seguido até o momento para emagrecer. Será que a bariátrica era mesmo a melhor solução? A negativa do médico para a operação foi a melhor coisa que me aconteceu!

imagem: Reprodução Instagram

Fui liberado pelos médicos para fazer musculação e exercícios funcionais leves e, em três meses, perdi 20 quilos. Ver as roupas largas e notar mais disposição me deixaram imediatamente cheio de autoestima e confiança. Parei de dar atenção para quem duvidava da minha determinação. Isso foi essencial para que eu procurasse conhecer pessoas que compartilhavam o mesmo estilo de vida que estava buscando.

Depois de um tempo, o metabolismo começa a nos sabotar e o emagrecimento para. Você faz tudo certinho e não perde nem 1 grama durante semanas. As dúvidas e o desânimo começam a bater. Mas as redes sociais me incentivaram bastante nesse período difícil.

Na verdade, elas foram essenciais para eu não desistir, porque todo dia as pessoas me incentivavam nos comentários e também se abriam, confessando suas próprias dificuldades. Passei a conviver mais com uma galera que leva um estilo de vida saudável e que faz exercícios por prazer.
Mudei totalmente a rotina, fazendo dieta e exercícios duas vezes por dia.

imagem: Reprodução Instagram

Desde o começo de 2017, bato carteirinha na escadaria do Sumaré (em Perdizes, zona oeste de São Paulo). Lá faço um treino de subir e descer os degraus com os novos amigos, o que acelerou a perda de peso. Em 12 meses, bati a marca de 40 quilos a menos.

Também conheci os crews, que são grupos de corrida de rua focados no prazer de correr e não na competição. Meu médico me liberou para correr duas vezes por semana, desde que mantivesse os treinos de fortalecimento do tronco. E foi assim que enxuguei mais 5 quilos que não perdia de jeito algum. Minhas dores na coluna cessaram por completo.
Hoje peso 79 kg e só tenho 17% de índice de gordura corporal. Sou mais alegre, me sinto mais atraente e confiante até na minha carreira.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao