Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Pesquisadores criam aparelho para descobrir tempo exato da gestação

Divulgação
Imagem: Divulgação

Thamires Andrade

Do VivaBem, em São Paulo

29/11/2017 17h02

De acordo com um estudo feito pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), 55% das brasileiras não sabem ao certo o tempo de gestação. Isso pode acontecer por conta de um ciclo menstrual irregular ou pela demora no início no pré-natal.

Sem essas informações, fica mais difícil para os médicos tomarem decisões nos cuidados imediatos do bebê, principalmente os prematuros. Para resolver esse problema do dia a dia, os pesquisadores da faculdade de medicina da UFMG e do Hospital das Clínicas criaram um aparelho que, em contato com a pele do bebê, descobre o tempo que o recém-nascido ficou na barriga da mãe.

Zilma Reis, coordenadora da pesquisa e professora do departamento de ginecologia e obstetrícia da UFMG, explica que eles identificaram na pele uma boa oportunidade de avaliar a idade da criança.

“O exame não é invasivo. Um sensor encosta na pele e emite luz em comprimentos de ondas diferentes. Essa luz interage com a pele e ela reflete a luz na medida da sua maturidade e espessura, refletindo a concentração de proteínas existentes. Assim, analisamos o sinal que retorna e estimamos a idade gestacional”, detalha Zilma.

O aparelho ainda está em fase experimental e a previsão é de que ele forneça um diagnóstico em poucos segundos. “Não vai precisar treinar uma equipe para usá-lo. A ideia é facilitar para que os médicos possam fazer todo o planejamento do cuidado e acionar a equipe multidisciplinar (enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas)”, fala.

Mas e como funciona nos dias de hoje?

Atualmente, para descobrir a idade gestacional do bebê com precisão é preciso fazer um ultrassom obstétrico. No entanto, ele só pode ser realizado nos três primeiros meses da gravidez.

“O problema é que nem sempre é possível fazer, pois o ultrassom é uma tecnologia mais cara. Sem contar que nem sempre a mulher busca o pré-natal logo no início da gravidez”, explica.

Passado os três meses, o método mais comum é fazer um cálculo usando o primeiro dia da última menstruação, além disso, os exames de ultrassom realizados no pré-natal também ajudam a chegar em uma “data”. O problema, segundo Zilma, é que nem sempre essas datas batem, seja pelo ciclo irregular ou porque a mulher estava usando contraceptivo quando engravidou. Por isso, o exame não invasivo trará benefícios. 

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Agência Estado
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Agência Estado
do UOL
Agência Estado
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Agência Estado
AFP
do UOL
do UOL
AFP
Cintia Cercato
do UOL
Topo