Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Conheça o efeito nocebo, o irmão maligno do placebo que faz você sentir dor

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem

28/11/2017 10h48

O efeito placebo é um dos fenômenos mais intrigantes da medicina. Quando se espera que uma pílula faça você se sentir melhor, ela faz.

Mas o placebo tem um irmão gêmeo do mal: o nocebo. Por incrível que pareça, expectativas negativas sobre um medicamento podem criar efeitos colaterais que não deveriam ocorrer. Isso quer dizer que você pode sentir algo ao tomar uma pílula de farinha, por exemplo.

Enquanto diversos estudos estão sendo realizados para encontrar maneiras de maximizar o efeito placebo, para que os médicos possam fazer uso dos benefícios terapêuticos dos remédios, cientistas também estão em busca de formas de minimizar ou maximizar os efeitos do nocebo.

Um estudo recente, publicado na “Science” em outubro, mostrou que pacientes sentiram efeitos negativos de um medicamento ao descobrirem que ele era mais caro.

Para a pesquisa, os cientistas pediram para 49 pessoas testarem dois tipos de cremes. Embora ambos não tivessem nenhum ingrediente ativo, os pesquisadores disseram aos voluntários que os dois eram remédios reais e que um era mais caro do que o outro.

Reprodução/Youtube
O creme placebo "mais caro", à esquerda, gerou um efeito nocebo nos voluntários Imagem: Reprodução/Youtube

Ao testarem os medicamentos na pele, os pacientes disseram sentir uma ardência duas vezes mais forte com o creme “mais caro”.

A explicação dos cientistas foi que os participantes acreditaram que a medicação mais cara continha um agente mais potente e efetivo e, consequentemente, produzia mais efeitos colaterais.

“Existem diversas pesquisas sobre o placebo e relativamente poucas sobre o nocebo", disse a autora do estudo Alexandra Tinnermann, uma neurocientista do Centro Médico Universitário de Hamburg-Eppendorf, na Alemanha. “Essas descobertas acrescentam informações ao fato de que nossas expectativas têm bastante influência na percepção de efeitos colaterais.”

Segundo os pesquisadores, o experimento pode ajudar os médicos a decidirem se recomendam ao paciente uma marca cara ou seu genérico, dependendo das expectativas do paciente, para um efeito mais eficiente.

 

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Agência Estado
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Agência Estado
do UOL
Agência Estado
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Agência Estado
AFP
do UOL
do UOL
AFP
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo