Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito

Como diminuir o efeito compensatório depois do treino?

Getty Images
Nada de atacar a geladeira depois do treino Imagem: Getty Images

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

28/11/2017 04h05

Depois de treinar pesado na academia, você volta para casa e bate aquela fome? “Esse efeito, chamado de compensatório, se dá quando o indivíduo executa uma atividade física e se sente no direito de realizar uma boa refeição para compensar o gasto energético. "O próprio organismo estimula essa compensação”, explica Andrea Zaccaro de Barros, presidente da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva.

Se em algumas pessoas há o aumento da ingestão calórica após a prática de exercícios, em outras, o efeito é justamente o contrário, e elas podem ter perda de apetite. Para quem está no grupo daqueles que sentem fome no pós-treino, uma das formas para diminuir esse efeito é se alimentar pelo menos quatro horas antes do início do exercício.

Isso fará com que a pessoa tenha o mínimo de combustível durante as atividades e, ao término delas, não sentirá tanta vontade de comer. Essa refeição prévia pode incluir o consumo de carboidratos complexos, como batata, pão e cereal, e ajudará a manter a oferta de energia para os músculos.

Treino curtos e intensos inibem a fome?

Outra alternativa para a supressão do apetite e a perda de peso é fazer exercícios de alta intensidade e curta duração, de acordo com o preparador físico Vinícius Possebon. “Quanto mais intenso for o exercício, maior a quantidade de calorias queimadas. O diferencial de treinos como o HIIT (termo inglês para Treinamento Intervalado de Alta Intensidade) é que ele altera o metabolismo de repouso, ou seja, o tempo que o organismo permanece queimando gordura”, diz.

Nesse tipo de modalidade, os treinos duram de 5 a 15 minutos e são realizados de 2 a 6 vezes por semana. Os exercícios podem variar entre o burpee, o agachamento com salto, a montanha alpinista, a prancha, a corrida parada e outros. As exigências para os praticantes dessa modalidade são: aplicar o máximo de esforço do corpo de 10 a 60 segundos e permanecer em descanso ativo por um período equivalente entre os momentos de esforço elevado.

De acordo com preparador físico Vinícius, essas medidas fazem com que o treino ‘engane’ o corpo e crie diferentes estímulos, ativando dois tipos de fibras musculares: as de contração rápida, que usam a glicose como fonte de energia, e as de contração lenta, que utilizam a gordura. “Com isso, o corpo permanece ‘enganado’ por um tempo, utilizando diversas fontes energéticas para alimentar seu desgaste”, comenta.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Blog Marcio Atalla
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Blog Marcio Atalla
do UOL
do UOL
VivaBem
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
Blog Marcio Atalla
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Topo