Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Além de engordar, comer rápido pode aumentar risco de doença cardíaca

iStock
Imagem: iStock

Do UOL

16/11/2017 10h30

Pense duas vezes antes de engolir seu almoço o mais rápido que puder. Além de fazer você ganhar alguns quilos, esse hábito ainda pode aumentar suas chances de desenvolver alguma doença cardíaca.

A descoberta é de um estudo publicado no periódico “Journal of the American Heart Association”. Realizada por cientistas japoneses, a pesquisa avaliou 1083 voluntários, entre 2008 e 2013. Os autores do estudo dividiram os indivíduos em três categorias de velocidade de alimentação: lenta, normal e rápida. Informações como estilo de vida, comportamentos alimentares, nível de atividade física e histórico médico também foram analisadas.

iStock
Comer rápido demais pode aumentar inclusive o risco de desenvolver diabetes tipo 2 Imagem: iStock

Nos cinco anos seguintes ao início da pesquisa, 84 pessoas foram diagnosticas com síndrome metabólica, conjunto de fatores que aumentam as chances de a pessoa desenvolver ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. Esses fatores incluem hipertensão arterial, nível elevado de açúcar no sangue, excesso de gordura corporal em torno da cintura e níveis de colesterol anormais. Entre os voluntários, quem comia mais rápido teve 11,6% mais incidência da síndrome.

Diabetes tipo 2 também entra na lista de doenças causadas pela alimentação acelerada

Durante o estudo, alimentar-se de forma acelerada ainda foi relacionado a ganho de peso e ao aumento dos triglicérides e do colesterol ruim. "Comer rápido pode causar flutuações no açúcar do sangue, o que pode levar à resistência à insulina", disse Takayuki Yamaji, autor do estudo. Isso significa que o corpo não consegue absorver a glicose do sangue e eventualmente vai precisar de mais e mais insulina para permitir que esse carboidrato entre nas células. Ao longo do tempo, isso ainda pode gerar diabetes tipo 2 e doenças do coração.

Segundo os cientistas, comer lentamente é um crucial na prevenção da síndrome metabólica e da obesidade.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

BBC
Saúde
do UOL
Blog do Henrique Szklo
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Adriana Vilarinho
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Agência Estado
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Agência Estado
do UOL
Agência Estado
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo