Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Celular tem 23 mil fungos e bactérias; risco vai de dermatite a pneumonia

iStock
Imagem: iStock

Gabriela Ingrid

Do UOL

06/11/2017 14h12

Você já ficou doente por causa de seu celular? Apesar de parecer algo irreal, um estudo recente mostrou que isso pode ser mais comum do que você imagina.

Realizada pela Devry Metrocamp, em Campinas (SP), a pesquisa identificou mais de 23 mil fungos e bactérias em celulares, responsáveis por diversos tipos de infecções de pele e problemas respiratórios. Tablets, capas de proteção, teclados e mouses também foram analisados.

Entre as 74 amostras estudadas pela aluna do curso de Biomedicina Claudia Tonetti e pela professora Rosana Siqueira, também foram encontrados bolores, leveduras e coliformes fecais, contudo, o micro-organismo mais predominante no celular foi a bactéria Staphylococcus aureus, presente em 43% dos objetos.

Tem alguma dúvida sobre a saúde do seu corpo? Mande sua pergunta para o e-mail pergunteaovivabem@uol.com.br que nós encontraremos os melhores especialistas para respondê-la.

“Ela pode causar conjuntivite, furúnculos, infecções de urina, intoxicação alimentar (diarreia, disenteria, dores abdominais, febre, vômitos, náuseas) e otite”, afirma Rosana. Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), algumas infecções por S. aureus são agudas e podem causar doenças mais graves, como pneumonia, osteomielite e meningite.

iStock
Celular pode abrigar inúmeras bactérias, fungos, vírus e até mesmo parasitas Imagem: iStock

Como higienizar o aparelho

De acordo com Rosana, o grande problema está na falsa sensação de segurança ao utilizar capinhas protetoras. “A falta de higienização das mãos dos usuários e o costume de emprestar para outras pessoas aumentam o risco de contaminação, principalmente entre crianças, que colocam o celular na boca com frequência.”

A especialista em biomedicina afirmou que pessoas com sistema imunológico baixo têm mais chances de desenvolverem doenças por causa do celular. “Se você não higieniza suas mãos ou aparelhos, as chances de pegar alguma coisa são altas.”

A melhor forma de prevenção é uma simples mudança de hábito: lavar as mãos antes das refeições e após ir ao banheiro e, ao menos duas vezes por semana, limpar os objetos com álcool, mantendo-os em local seco e arejado.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

BBC
Estilo
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
BBC
BBC
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
Agência Estado
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
BBC
do UOL
BBC
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
BBC
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo