Longevidade

Práticas e atitudes para uma vida longa e saudável

Esqueça palavra cruzada: para ter a mente ativa, busque novas experiências

iStock
"Do ponto de vista da ciência, se você for bom em palavra cruzada, será apenas bom em palavra cruzada e só", diz Pedro Calabrez Imagem: iStock

Gabriela Ingrid

Do UOL, em São Paulo

18/10/2017 17h09

Você gostaria de viver 100 anos? Segundo Pedro Calabrez, professor e pesquisador de neurociências da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), a resposta que sempre escuta para essa pergunta é: “Depende da minha qualidade mental até lá. Se minha memória e tomada de decisão forem as mesmas, sim”.

Em uma palestra durante o 12º Fórum da Longevidade, ocorrido nesta quarta-feira (18), em São Paulo, Calabrez comentou a importância de uma mente ativa para uma longevidade saudável. “E não pense que o caça palavras ou o sudoku vão ajudar você a ficar longe do Alzheimer”, brincou.

O maior inimigo do cérebro ativo é a acomodação. E para manter o cérebro funcional, você precisa aprender coisas novas. A palavra cruzada é legal no começo, mas depois que você aprende e se adapta, deve focar em aprender algo novo.

Segundo ele, além do aprendizado constante, existem três elementos básicos essenciais para uma mente saudável:

  1. Atividade física regular, pois corpo e cérebro se complementam;
  2. Alimentação saudável, principalmente a famosa dieta do mediterrânea, concentrada em vegetais, carnes brancas e óleos saudáveis;
  3. Sono, porque dormir pouco ou muito mata. O sono é um processo de regulação corporal importantíssimo.

Imediatismo é o maior inimigo da mente saudável

Daqui a 30 anos, a maior prevalência de Alzheimer no mundo será na América Latina. “E, dentro desta parte do continente, o Brasil. Nosso país está envelhecendo mal. O brasileiro é sedentário e se alimenta mal, com pouca fibra e vegetais e come muita carne vermelha”, disse Calabrez.

O pesquisador ainda alerta para o fato de o brasileiro não se manter intelectualmente ativo. E o culpado por esse comportamento é justamente o imediatismo. “Queremos tudo para agora, do fast-food às fórmulas prontas de barriga chapada e felicidade instantânea. Isso se espelha em uma realidade que quer respostas rápidas e simples para perguntas complexas.”

Segundo ele, nunca houve tanto conhecimento sobre alimentação saudável e atividade física regular. Mas o que aprendemos só tem alguma função quando altera a forma como você se comporta e age. O ideal é evitar a preguiça para aprender coisas novas e desafiar o cérebro diariamente, gastando energia.

Calabrez conclui: “No fim das contas, somos insignificantes, passageiros, mas somos especiais pela capacidade do ser humano de adquirir conhecimento. Só somos melhores que os animais, porque nos mantemos ativos. Aprenda e continue aprendendo, não se sujeite ao imediatismo. Acomodação é morte.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
Folha de S.Paulo
do UOL
do UOL
VivaBem
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Estilo
do UOL
Topo