Viva Bem

VivaBem

Comer com atenção é apontado como uma das chaves para combater a depressão

Luciana Mastrorosa

Colaboração para o UOL, em Buenos Aires

17/10/2017 10h00

Já ouviu falar em mindfulness? Traduzido do inglês, a “atenção plena” é uma prática meditativa para lidar com as situações do dia a dia. O conceito tambem é usado na alimentação e o "comer com consciência" diminui sintomas de depressão, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 16, no 21º Congresso Internacional de Nutrição (IUNS 2017), que ocorre em Buenos Aires, Argentina.

O chamado “mindful eating” seria você prestar atenção no que come. Segundo a autora do estudo, Laura Winkens, da Universidade de Vrije, em Amsterdam, na Holanda, não comer automaticamente, mas ao sentir a fome e se concentrar no ato seria um importante aliado ao combate da doença.

Em conversa com o UOL, a pesquisadora explicou que utilizou a escala “Mindful Eating Behaviour”, um questionário específico para investigar comportamentos relacionados ao comer com atenção plena.

O instrumento é composto por quatro domínios:

- “comer concentrado”, referente a perceber os aromas e sabores da comida durante a refeição;

- “sugestões de fome e saciedade”, que se refere a confiar e ouvir os sinais que o corpo envia quando está com fome ou não;

- “comer com consciência”, sobre comer automaticamente ou prestando atenção ao que se ingere; e

- “comer sem distrações”, que se refere a fazer as refeições sentado à mesa ou realizando inúmeras tarefas ao mesmo tempo, como ver televisão ou usar o celular.

Prestar atenção no que se come pode alterar sintomas da depressão imagem: iStock

Três desses domínios mostraram associação com a diminuição dos sintomas de depressão: comer concentrado, comer com consciência e comer sem distração.

Por conta dos resultados, a pesquisadora agora se dedica a entender os mecanismos que geram essa associação, possivelmente relacionados à quantidade de comida.

Isso porque quem "come com consciência” ou “come sem distração” ingere menos calorias. E é aí que pode estar a explicação para a mudança nos sintomas depressivos.

"Ainda temos de investigar mais. Não sabemos se o mindful eating leva a fazer melhores escolhas alimentares, ou a comer menos e, por consequência emagrecer, e isso tudo acaba se refletindo sobre a depressão. Há inúmeros fatores que podem influenciar”, afirma.

A depressão, hoje, é uma das doenças mais prevalentes e incapacitantes do mundo.

Um projeto para investigar nutrição e depressão

Laura faz parte do Mood Food Project, um projeto colaborativo entre diversos países, dedicado a investigar a prevenção da depressão por meio de estratégias nutricionais.

O grupo também apresentou uma investigação que apontou que seguir uma dieta saudável a vida toda, rica em frutas, verduras, legumes, peixes, reduz o risco de depressão na terceira idade.

Mindful eating em poucos passos

- Ser consciente de como se come, prestar atenção aos alimentos que estão no prato

- Detectar os pensamentos que se tem em relação à comida

- Experimentar os alimentos plenamente, conectando-se com as sensações, emoções e pensamentos que eles provocam -Atender aos sinais de fome e saciedade que o corpo envia

-Aceitar a si mesmo, ao corpo que se tem e à forma de se relacionar com os alimentos

- Observar as situações e emoções que impulsionam a tomar a decisão de comer ou não comer

Fonte: Livro “Mindful Eating – El sabor de la Atención”, dos autores Javier García Campayo, Héctor Morillo, Alba López-Montoyo e Marcelo Demarzo (editorial Siglantana, 2017)

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao