VivaBem

Conhece a I-Diet? Dieta promete reprogramar o cérebro para amar comer bem

iStock
Imagem: iStock

Maria Júlia Marques

Do UOL, em São Paulo

30/09/2017 09h30

Não seria maravilhoso ter uma dieta que compreende sua mente e faz o cérebro preferir comidas mais saudáveis? Imagina escolher brócolis e dispensar a pizza sem sofrimento?

Tem alguma dúvida sobre a saúde do seu corpo? Mande sua pergunta para o e-mail pergunteaovivabem@uol.com.br que nós encontraremos os melhores especialistas para respondê-la.

Essa é a promessa da I-Diet, segundo Sai Krupa Das, pesquisadora do laboratório de metabolismo energético da Universidade de Tufts, nos EUA. O projeto visa reprogramar as informações que seu cérebro tem sobre comida e facilitar sua entrada (e permanência) na vida saudável.

“Ninguém aguenta dieta se não gosta do que está comendo, a gente come com as emoções, por isso preferimos o que o cérebro gosta. A solução é ensiná-lo a comer o que faz bem”, explicou Das durante o 21º Congresso Brasileiro de Nutrologia, em São Paulo.

Antes de desenvolver a I-Diet, a cientista descobriu que nossa neurobiologia cerebral cria cinco instintos para comida:

  • Fome (a necessidade de se sentir satisfeito)
  • Disponibilidade (comer só porque está por ali)
  • Densidade de calorias (o que mais gostamos)
  • Variedade (comer passivamente)
  • Familiaridade (gostando do que já conhecemos e nos dá desejo)

Sabendo como o cérebro se conecta com as comidas, Das conseguiu “atacá-lo” para fazer uma reeducação alimentar com base em uma dieta de equilíbrio energético e menos calorias.

Quem se aventurar na I-Diet terá um cardápio adaptado de acordo com os seus instintos para comida. Ou seja, você vai ingerir alimentos com gostos parecidos aos que seu cérebro está acostumado, mas com ingredientes mais saudáveis.

Fazendo certo mistério sobre os pratos específicos da dieta, Das explicou que 25% das refeições são proteínas, mas também há carboidratos de lenta absorção e muitas fibras. São três refeições e dois lanches por dia e o processo todo dura cerca de 36 semanas, com consultas presenciais ou online.

Além de mudar o prato, você também aprende a se manter satisfeito, gostar do que come e aceitar o fato de que sua força de vontade é limitada -não se deprima.

Acontece que as ligações cerebrais de fome, saciedade e recompensa são inconscientes, então por mais que você queira emagrecer e tenha muito foco, é difícil resistir aos doces quando a fome bate. Seu inconsciente é mais forte e por isso é preciso estar sempre satisfeito.

Quais os resultados?

Durante o congresso, a pesquisadora contou que analisou grupos que completaram o processo da I-Diet para comprovar sua eficiência.

A cientista acompanhou as respostas cerebrais dos participantes enquanto mostrava imagens de alimentos com muitas calorias e comidas mais lights. “As manifestações do cérebro mostraram que quem completou a dieta passou a preferir alimentos menos calóricos e não querer os hipercalóricos”, explicou.

O cérebro conseguiu desapegar dos ensinamentos antigos de que comidas gordurosas eram positivas e passou a compreender que vegetais e frutas eram mais queridos.

Ainda foram analisadas melhoras no controle de peso a longo prazo, aumento do nível de energia, baixa do colesterol, redução da pressão sanguínea e melhores taxas de açúcar no sangue.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais VivaBem

Topo