menu
Topo

VivaBem

Gwyneth Paltrow é acusada por dar conselhos inapropriados de saúde em site

Getty Images
Gwyneth Paltrow Lacma Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

24/08/2017 20h10

A Truth in Advertising (TINA)--organização sem fins lucrativos que protege consumidores de marketing enganoso--conduziu uma investigação sobre o site de estilo de vida da atriz Gwyneth Paltrow, chamado Goop, e descobriu que a plataforma estaria dando "conselhos de saúde inadequados" e utilizando "táticas de marketing enganosas".

As descobertas levaram a organização a entrar com uma queixa no distrito da Califórnia (EUA). A ideia é chamar a atenção das autoridades para a negligência e solicitar que eles fechem o site, ou, ao menos, peçam que os responsáveis façam mudanças significativas no conteúdo.

Em seu relatório, a TINA afirma ter encontrado pelo menos 50 casos em que eles promoveram produtos que "podem tratar, curar, prevenir, aliviar os sintomas ou reduzir o risco de desenvolver uma série de doenças, que vão desde depressão, ansiedade e insônia, passando ainda por infertilidade, prolapso uterino e artrite", para citar alguns.

Tem histórico

 

A post shared by goop (@goop)

 

 

 

 

 

 

 

 

on

Este não é o primeiro problema enfrentado pelo site da atriz. No ano passado, a Divisão Nacional de Publicidade (NAD) abriu uma investigação solicitando que o Goop respalde as alegações de saúde de produtos como os suplementos dietéticos Moon Juice, vendido por eles.

O site também esteve sob fogo cruzado no início deste ano, quando anunciou a venda de ovos de jade, que supostamente seriam indicados para "tonificar" a região da vagina, "intensificar a energia feminina" e "aumentar o orgasmo", entre outras supostas qualificações.

O Dr. Jen Gunter chamou o produto de "a maior carga de lixo que já havia visto" e escreveu sobre as precauções que as mulheres deveriam tomar antes de acreditar nesse tipo de informação.

 

A post shared by goop (@goop)

 

 

 

 

 

on

Há apenas alguns meses, o Goop também foi criticado por promover adesivos para o corpo que "equilibrariam energia" e retirou estas supostas qualificações após especialistas da NASA desconsiderarem publicamente o produto.

De acordo com a TINA, o site teve a chance de melhorar e atualizar seus materiais. No entanto, fez apenas "mudanças limitadas", o que motivou a organização a apresentar uma queixa oficial para os legisladores.

"Falar que produtos de marketing possuem a capacidade de tratar doenças e transtornos não apenas violam a lei estabelecida, mas é uma estratégia de marketing extremamente enganosa que está sendo usada pelo Goop para explorar as mulheres. Eles precisam parar de ter esse tipo de lucro imediatamente", afirmou a diretora executiva da TINA, Bonnie Patten.

Ao serem questionados, os responsáveis pelo Goope responderam: "Embora acreditemos que a descrição da TINA sobre nossos produtos seja enganosa, e suas afirmações infundadas, continuaremos avaliando nossos produtos e conteúdo na tentativa de fazer melhorias que acreditamos serem razoáveis ​​e necessárias para a nossa comunidade de usuários."

Mais VivaBem