Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Mãe posta foto de filho com caso grave de catapora e alerta sobre vacinação

Reprodução/Facebook
Kayley Burke, marido e filhos Imagem: Reprodução/Facebook

Gabriela Ingrid

Do UOL

23/08/2017 15h48

É difícil olhar para as fotos do pequeno Elijah, de 11 meses. O bebê contraiu catapora, ficando com seu corpo coberto de bolhas e feridas, e ainda sofreu uma infecção secundária por conta das lesões. Em um post emotivo que viralizou, a australiana Kayley Burke, mãe de Elijah, ressaltou a importância da vacinação.

“Vacinem os filhos de vocês, gente. Pensem nos riscos que vocês estão colocando outras crianças indefesas e que são muito jovens para serem vacinadas.”

É realmente incomum um bebê tão novo como Elijah pegar catapora. “A vacinação para catapora é indicada somente para crianças acima de um ano, com reforço após três meses, em um total de duas doses”, diz Maria Júlia Carvalho, pediatra do Hospital Infantil Sabará e do Albert Einstein, em São Paulo. Nos primeiros 12 meses, o bebê está protegido pelos anticorpos passados pela mãe durante a gravidez, não necessitando da vacina.

E esse foi o caso de Elijah, que ainda faltava um mês para ser vacinado. “Nosso pobre bebê era muito novo para ser imunizado”, lamentou a australiana.

Reprodução/Facebook
O bebê Elijah com catapora Imagem: Reprodução/Facebook
Segundo a pediatra Maria, por ser altamente transmissível, é comum ter surtos da doença ou que ela seja passada para crianças que ainda não foram vacinadas. Nesse caso, resta optar pelo tratamento, que inclui utilização de antivirais e outras medicações. “Se a doença não for tratada, em casos mais graves, pode ser que infecções bacterianas se desenvolvam. Quando isso acontece, o tratamento não é tão simples, mesmo com a utilização de medicamentos, podendo ainda ter complicações e sequelas futuras, como por exemplo complicações no sistema nervoso central”, acrescenta.

De acordo com Maria, se a doença não for tratada, ela pode causar desconforto e febre e, em casos mais graves, infecções bacterianas nas lesões da pele. Otites, pneumonias e meningites podem ser outras complicações. “Por isso é tão importante a vacinação”, diz a médica.

Além de Elijah, sua mãe e sua irmã de 3 anos também contraíram a doença por causa do contato com o bebê. “A minha filha está bem, com algumas feridas." Kayley também fez questão de dizer: “Conclusão, se você não vacina seus filhos, é um estúpido”.

Segundo Maria, a vacina para a catapora é extremamente efetiva. “A primeira dose imuniza contra as formas mais graves de contaminação, então a criança ainda pode ter algum tipo de infecção, mas bem leve. Já após a segunda dose, a criança tem proteção total, perto de 100%.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
Blog da Adriana Vilarinho
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Agência Estado
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Agência Estado
do UOL
Agência Estado
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
BBC
do UOL
Topo