Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito

Ela conseguiu eliminar as celulites do corpo: "Mudei todos os alimentos"

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Thamires Andrade

Do UOL

18/07/2017 04h10

Lucilene Johann, 30, sempre foi magra. Mas, depois de casar, começou a ver os ponteiros da balança subirem. A esteticista só foi perceber que realmente estava acima do peso quando entrou em uma aula de muay thai e resolveu tirar fotos de calcinha e sutiã para fazer um "antes e depois". Hoje, com 30 quilos a menos, ela sonha em participar de uma competição de fisiculturismo no ano que vem.

"Fui magra minha vida inteira, só comecei a engordar depois que casei. Meu marido era gordinho e fui o acompanhando. Na minha cabeça, não me achava gorda, apesar de ter consciência de que estava um pouco acima do peso. Só fui ter ideia quando uma amiga insistiu para que eu entrasse no muay thai com ela e aí combinamos de tirar foto de calcinha e sutiã para acompanhar nossa evolução.

Quando vi minha foto, caiu a ficha, vi que estava obesa. Na época, pesava 89 quilos e meu IMC [índice de massa corporal] já apontava obesidade grau 1, sendo que eu tinha que pesar por volta de 60 quilos.

O que mais me incomodou quando vi as fotos foram as celulites e a gordura acumulada nas costas --que forma aquelas dobrinhas-- e quando resolvi mudar de vida foquei muito nisso. Comecei com o muay thai duas vezes na semana e nos outros dias ia para academia fazer aeróbico. Também passei a cuidar da alimentação e, em um mês, sozinha, emagreci cinco quilos. Isso me animou e fez com que eu procurasse uma nutricionista.

Foi aí que descobri que, para sumir com a celulite, era preciso mudar a alimentação e ponto final. O cardápio é a base de tudo. Se você tiver uma alimentação saudável e fizer exercício aeróbico para queimar a gordura, você vai conseguir eliminar a celulite. Mas é preciso ter paciência, já que demora para sair.

Parei de fazer minha maionese caseira que eu adorava, larguei a cerveja, diminui a quantidade de pão e troquei a farinha branca pela integral. Essa mudança de hábitos fez com que eu já visse resultados no corpo.

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Ninguém dorme gorda e acorda magra

Quando comecei o acompanhamento com a nutri, nem conseguia comer tudo que ela me passou. Só fazia três refeições por dia antes. Não tinha o hábito de tomar café da manhã, muito menos o de fracionar as refeições. Meu metabolismo era lento, só comia pizza, frituras, alimentos congelados e não cozinhava em casa.

Mudei todos os alimentos. Passei a comer mais frutas e verduras, coisa que antes não fazia por preguiça. Não tinha hábitos saudáveis vindos de família. Nunca fui cobrada por não comer fruta e verdura. Aí quando batia a preguiça, ia lá e pedia uma pizza. Quando troquei os alimentos, meu metabolismo foi acelerando e eu não passava fome.

Fui vendo os resultados: tinha mês que emagrecia 2 quilos, em outro, era 5 e assim por diante... Mas também tive decaídas. Cheguei a engordar em alguns meses que não levei a alimentação tão a sério. Nas minhas férias, por exemplo, engordei 6 quilos em um mês e bateu aquela tristeza. Mas consegui voltar ao trilho, pois sabia que era capaz, ergui a cabeça, confiei em mim e fui em frente. A realidade é que somos capazes, só tem que ter paciência. Ninguém dorme gorda e acorda magra.

Saber que eu inspirava os outros me impediu de desistir

Uma das coisas que mais me ajudou a não desistir foi a minha conta no Instagram. Passei a postar minha rotina de dieta e exercício desde o início, apesar de não ter o objetivo de expor toda minha vida. A repercussão foi grande. Comecei a ver que tinha gente torcendo por mim e aquilo funcionava como um incentivo. Quando eu pensava em desistir, vinha na cabeça que eu estava ajudando alguém, nem que fosse 10 pessoas... Com que olhos essas pessoas iriam me ver?

O legal é que passei a receber recados e depoimentos das pessoas, contando que eu as ajudei a saírem de um quadro de depressão e falando que eu sou uma inspiração para elas. Isso sempre me ajudou a seguir em frente e a me reerguer.

Claro que também contei com o apoio dos amigos e da família. Meu marido, que também era gordinho, mudou os hábitos junto comigo e eliminou 36 quilos. Ele sempre me botava para cima nos períodos mais difíceis.

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Os bons resultados me estimularam a querer mais

No fim, emagreci 30 quilos em três anos. No começo, só queria saber de emagrecer, não pensava na definição. Tanto que passei um ano e meio só focada nos exercícios aeróbicos, como bike, caminhada, corrida e elíptico. Tudo focado na queima calórica. Foi quando enxuguei 20 quilos.

Percebi que tinha ficado um pouco flácida e passei a incluir a musculação nos treinos para definir. Aí fui ficando mais firme. Se o aeróbico me ajudou a emagrecer, foi a musculação que deixou meu corpo torneado.

Antes, eu odiava ir para academia. Fazia um mês e desistia. Achava que nesse período curto já tinha que ter resultado. Dessa vez, fui com paciência e coloquei na cabeça que não ia parar, já que tinha chegado tão longe.

Minha meta era chegar perto de 75 e 72 quilos. Quando alcancei o que queria, vi que podia mais e cheguei a pesar 59 quilos. Para mim, ver os resultados sempre me animou e me deixou motivada, me estimulando a querer cada vez mais.

Quando comecei minha reeducação, não tinha condição financeira para investir em muitos tratamentos estéticos. Mas, assim que consegui, incluí a massagem modeladora e a drenagem. Acho que isso me ajudou muito a não ficar com a pele flácida.

Meu objetivo é participar de uma competição de fisiculturismo

Hoje em dia, meu cardápio mudou 100%, pois busquei uma nutricionista esportiva, já que meu objetivo é, no ano que vem, virar fisiculturista. No emagrecimento, você come muita fruta e pouco carboidrato, enquanto a alimentação focada na musculação, é mais recheada de outros alimentos, como ovo, batata-doce, arroz e carne.

Fora que passam a incluir outros alimentos, como abacate, que era uma fruta proibida por ser gordurosa. Hoje, a gordura boa serve como uma fonte de energia para mim, já que meu percentual de gordura está em 13%.

Passei a querer me preparar para um campeonato de fisiculturismo pelo resultado que tive com a musculação. Sempre achei legal e acompanhava alguns atletas nas redes sociais.

Atualmente, faço musculação três vezes por semana e aeróbico cinco vezes. Mas, quando preciso me preparar para fotos, por exemplo, faço dois aeróbicos no dia para secar bastante e baixar a gordura para que o músculo apareça bem. Para uma competição, sei que vou precisar baixar ainda mais. Para o ensaio que tirei as fotos em preto e branco, fiquei três semanas com essa rotina, mas, para competir, vou precisar ficar de dois a três meses. Estou empolgada."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Blog Marcio Atalla
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Blog Marcio Atalla
do UOL
do UOL
VivaBem
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
Blog Marcio Atalla
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Fernando Guerreiro
do UOL
Topo