menu
Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito

Samba fit: modalidade que ajudou Patrícia Poeta secar une dança e exercício

Getty Images
Imagem: Getty Images

Thamires Andrade

Do UOL

13/07/2017 04h00

Em 2015, Patrícia Poeta iniciou uma reeducação alimentar para melhorar sua qualidade de vida. A apresentadora não só mudou o cardápio, como também apostou na prática de atividades físicas. O resultado? Dez quilos a menos.

Uma das atividades que fez com que Patrícia emagrecesse --e agora a ajuda a manter o peso-- é o samba fit, que ela faz duas vezes por semana. Além dessas aulas, Patrícia também é adepta de caminhadas no calçadão, musculação e ballet fitness.

Reprodução/Instagram/@patriciapoeta
Pós-aula: Patrícia Poeta, suando, posta foto ao lado da professora Carla Campos Imagem: Reprodução/Instagram/@patriciapoeta
A modalidade é patenteada pela educadora física e professora de dança Carla Campos, que tem estúdio no Rio de Janeiro, e tem o intuito de mesclar os passos de samba com uma aula que proporcione condicionamento físico.

“Antes, dava aula de suingue brasileiro, que misturava vários ritmos, como maracatu, frevo e samba de roda. Fui dar um workshop na Finlândia e quando cheguei lá tinham cinco escolas de samba. Daí veio a ideia de criar o samba fit”, contou.

Como é a aula?

Carla explica que a aula é toda coreografada e que existe uma preocupação de trabalhar o corpo todo. Ou seja, se você fizer um determinado passo para a direita, terá que repeti-lo para a esquerda. “Isso aumenta o grau de dificuldade da aula. Ao se preocupar com a lateralidade, conseguimos trabalhar todos os músculos na aula”, garante.

As aulas são divididas em três níveis: básico, intermediário --grupo que Patricia faz parte-- e avançado. A dificuldade da coreografia aumenta de acordo com o nível. “O que todas têm em comum é o aquecimento, os exercícios para braços e pernas no embalo do samba e um alongamento no final”, explica Carla.

Segundo a professora, até quem não sabe sambar pode se arriscar na modalidade. “O básico tem aulas mais simples para ensinar coordenação, ritmo e o próprio passo do samba. Qualquer um pode fazer.”

Em cima do salto

Com duração média de uma hora, a aula de samba fit é feita em cima do salto. Carla explica que há uma sandália própria para o samba, usada pelas passistas, que tem plataforma e deixa os passos mais firmes.

“É um sapato feito artesanalmente e simula uma meia ponta, mesmo você estando com a ponta do pé apoio, assim, ninguém força tanto a panturrilha, como faria se estivesse sambando de sapatilha ou de tênis”, explica.

Na opinião de João Bergamaschi, ortopedista formado pela Santa Casa de São Paulo e diretor médico da Clínica Kennedy, em São Paulo, é preciso tomar cuidado com o tamanho do salto escolhido para a atividade.

"O ideal é buscar um meio termo. Um salto que seja confortável e que evite risco de lesões. As principais seriam entortar o tornozelo ou ter algum problema ligamentar na região", explica.

Para evitar isso, o ideal é que a aluna já tenha um condicionamento físico prévio, principalmente na região do tornozelo e da panturrilha. "Se o sapato for escolhido da forma adequada, o risco de lesão é menor e será possível realizar a atividade semanalmente", diz.

Benefícios

Além de melhorar o condicionamento físico, Carla destaca que outro benefício do samba fit é o trabalho nas pernas, glúteos e coxas. “A modalidade queima 500 calorias por aula, semelhante a uma aula de spinning. Fora que trabalha o corpo todo, principalmente os glúteos, o quadríceps, posterior de coxa, panturrilhas e abdome.”

Já para fortalecer os braços, parte dos exercícios são feitos com uma bola de um quilo. “Ela ajuda a deixar os braços mais firmes, já que eles são primordiais para as coreografias do ritmo”, diz.

Carla também lista benefícios comportamentais para quem optou por aprender a sambar. “É uma aula que melhora a autoestima, as alunas saem se sentindo mais bonitas e confiantes. Muita gente acha que sambar é difícil, então, depois de conseguir, tem aquela sensação de superação e confiança. Fora o trabalho de desinibição, elegância, alegria e sensualidade.”

Restrições e preços

Carla explica que a única restrição para realizar as aulas são problemas ortopédicos e hérnias acentuadas. Apesar de o Studio Samba Fit ser localizado no Rio de Janeiro, Carla viajou --e ainda viaja-- o Brasil todo ensinando a técnica. "Aqui no estúdio, o diferencial é que as aulas têm, no máximo, seis pessoas. É um trabalho bem personalizado." Os planos mensais variam de R$ 300 a R$ 580.