VivaBem

Óleo de coco não ajuda a emagrecer e faz tão mal à saúde quanto manteiga

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

19/06/2017 18h28

O óleo de coco ficou famoso como uma opção saudável e foi figurinha repetida em receitas fit e dietas de blogueiras. Mas o produto não é milagroso e nem saudável.

De acordo com um estudo publicado pela American Heart Association (Associação Cardíaca Americana), o óleo de coco tem o mesmo efeito na saúde que gordura animal e manteiga. A substância, que contém ácidos como o mirístico e o ácido láurico, é composta de gordura saturada e por isso pode aumentar o colesterol “ruim”, segundo os pesquisadores.

O relatório mostra que 82% da gordura do óleo de coco é saturada. O percentual é maior do que o da manteiga (63%), da gordura bovina (50%) e da banha de porco (39%).

A associação diz que não há evidências confiáveis de que o óleo de coco seja saudável.

E não é só a associação americana que alerta para as promessas do óleo, a ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) divulgou um posicionamento oficial desmistificando o uso do produto.

De acordo com a ABRAN, o óleo de coco aumenta o colesterol e há um número muito pequeno de estudos que mostrem seus efeitos no peso corporal em seres humanos.

Uma das poucas pesquisas existentes foi feita com a população de Ilhas do Pacífico e a resposta foi negativa. Aqueles que consumiam quantidades elevadas de coco (63% de energia derivada do coco, quanto o comum na região era 34%), eram mais pesados e tinham mais “dobrinhas” de gordura na região subescapular.

E a lista de associações que condenam o consumo do óleo de coco para emagrecer não para por ai.

Em comunicado, a Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), juntamente a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), divulgaram que “não há qualquer evidência nem mecanismo fisiológico de que leve à perda de peso” e que se posicionam “frontalmente contra a utilização terapêutica do óleo com a finalidade de emagrecimento”.

Além disso, a ABRAN completa seu posicionamento afirmando que não há estudos clínicos que comprovem a fama que o óleo de coco tem de ser antibacteriano, antifúngico e antiviral. Também não existem provas de que seu efeito ajude portadores de alterações cognitivas, como a Doença de Alzheimer.

Por isso, o melhor é saber o que você está comendo do que acreditar em milagres para a perda de peso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais VivaBem

Topo