menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Mesa de trabalho ajuda a não passar o dia sentado; funciona?

Divulgação
Fernando Ziemer posa com a Geniodesk Imagem: Divulgação

Thamires Andrade

Do UOL

24/03/2017 14h06

Quem trabalha em escritório passa grande parte do dia sentado em frente ao computador. A ciência já comprovou em uma série de estudos os riscos dessa prática, como o aumento do risco de morte precoce, diabetes, hipertensão, entre outras doenças. Mas um empreendedor brasileiro trouxe para o país um design diferenciado de mesa que promete ajudar a diminuir o tempo inativo no escritório.

Fernando Ziemer desenvolveu a Geniodesk, uma mesa que, por meio de um motor, sobe ou desce com um aperto de um botão. Assim, o trabalhador pode intercalar as posturas durante o período de trabalho. A recomendação da Geniodesk é nunca ficar mais de 50% do tempo trabalhado em pé. Hoje, a mesa é vendida pelo site da empresa e sai por R$ 2 945.

Abaixo a dor nas costas

Na opinião de Orlando Righesso, ortopedista da SBC (Sociedade Brasileira de Coluna), o principal benefício de um dispositivo como esse no trabalho é reduzir a incidência de dores de coluna e hérnias de disco nos funcionários.

Ele explica que quando estamos deitados a pressão dentro do disco intravertebral da coluna lombar é de 25 newtons. Quando ficamos em pé, ele aumenta para 100 e, ao sentar, a pressão é maior ainda: 150 newtons. “Isso se contar que a pessoa está sentada corretamente, com uma postura ergonômica. Se ela estiver com a postura errada a pressão pula para 250 newtons, dez vezes mais do que deitado”, explica.

O risco dessa pressão é que, segundo Righesso, ela vai provocando lesões no disco, afetando a cartilagem no meio das vértebras, podendo causar uma hérnia de disco. “A incidência de dor nas costas e problemas de coluna entre quem trabalha sentado é muito alta por causa dessa pressão na região, não é só dor muscular”, fala.

Para evitar isso, a orientação dos médicos é nunca ficar mais do que duas horas sentado na mesma posição. “Também orientamos ter uma cadeira ergométrica, uma mesa com a altura correta e um computador bem posicionado. Mas, realmente, intercalar as posições [sentado e em pé] seria o ideal para reduzir as lesões", diz.

Outros benefícios da mesa

Righesso também destaca que o uso da mesa traz benefícios cardiovasculares e circulatórios. O ortopedista explica que, ao ficar sentado com o joelho dobrado, o retorno venoso do sangue das pernas fica comprometido. “Essa posição dificulta o retorno venoso dos membros inferiores, então, ficar em pé ajuda muito nesse aspecto”, explica.

O ortopedista também explica que não existe uma contraindicação para usar a mesa e que cada caso deve ser avaliado. “Um obeso terá mais dificuldade de ficar muito tempo em pé, mas isso não o impede de ficar. Tudo depende do tempo. Se uma empresa comprar uma mesa dessa e tiver uma funcionária gestante, ela terá que ser orientada a ficar menos tempo em pé. Cada caso é um caso”, fala.

Ainda que o custo da mesa seja alto, Righesso é da opinião de que é mais caro para empresa ficar com o funcionário fora por conta das dores nas costas. “A ergonomia no escritório é muito importante. Adotando algo desse tipo, a empresa vai ganhar muito no sentido de prevenir doenças e evitar faltas no trabalho”, fala.