menu
Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito

De repente sarado: veja como Chay Suede mudou o corpo em um mês

Reprodução/Instagram
Chay Suede chamou atenção no Instagram pelos braços musculosos Imagem: Reprodução/Instagram

Thamires Andrade

Do UOL

17/03/2017 13h10

Chay Suede tem surpreendido seus seguidores no Instagram ao postar fotos nas redes sociais em que aparece mais musculoso e com as veias saltadas. O motivo? Há um mês o ator tem se dedicado aos treinos de crossfit, modalidade criada nos Estados Unidos para treinar soldados do exército, policiais e bombeiros.

Hoje em dia, a modalidade é uma febre no Brasil e tem ganhado cada vez mais adeptos que gostam de "superar os próprios limites". "Antes de chegar no box, o Chay já estava correndo na lagoa e fazendo algumas aulas particulares de levantamento olímpico, então, quando ele começou a treinar mais forte e regularmente no box, os resultados apareceram muito rápido", explica Natália Kostek, coordenadora técnica do CrossFit JB, box em que o ator treina.

Natália conta que o ator faz muitos exercícios de força, como o levantamento olímpico e o levantamento básico, além de atividades com a barra e o kettlebell. "Ele também gosta muito de condicionamento físico. Então, faz remo, corre, pula corda, tudo para ter um gás na capacidade aeróbica", conta.

 

bom dia, amanhã já é bahia ?

A post shared by chay (@chay)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

on

Aula em três partes

As aulas de crossfit do box que o ator frequenta duram uma hora e são divididas em três partes. A primeira consiste no aquecimento, enquanto a segunda é a parte técnica e de força da aula em que algum movimento diferente é ensinado aos alunos. "Ensinamos o levantamento terra, por exemplo, e aí vamos corrigindo a postura dele para, depois, aumentar a carga e fazer séries de força, como na musculação mesmo", fala.

Na sequência é a última parte da aula, o wod, também conhecido pelos crossfiteiros como "work out of the day" (atividade do dia, em livre tradução), em que o professor liga o cronômetro e os alunos devem fazer uma tarefa com exercícios de força e condicionamento físico. "A carga nessa parte da aula é reduzida e pedimos para que os alunos façam o maior número de repetições possíveis da sequência de exercícios dada durante 13 minutos. Cada dia é uma atividade diferente. Hoje, por exemplo, ele fez levantamento terra, remou, fez o wall ball [jogar uma bola pesada acima da cabeça na parede] e depois flexão de braço", conta.

Benefícios

Os principais benefícios da modalidade, segundo Natália, é que, por ser de alta intensidade, o ganho de condicionamento físico é muito superior ao de outras atividades. "Ter que fazer os exercícios em determinado tempo exige que os alunos ultrapassem os limites. Como o condicionamento físico é maior, os resultados corporais também aparecem mais rápido. Há um aumento na massa magra, diminuição da massa gorda e os alunos costumam ficar mais definidos", explica.

Outra consideração de Natália é que o crossfit trabalha outros componentes que não são trabalhados na musculação, como flexibilidade, coordenação e equilíbrio. “O Chay pode aproveitar esses ganhos para o personagem dele, já que ele fica mais ágil e tem mais disposição para aguentar os ritmos puxados das gravações”, conta.

 

um morto muito louco

A post shared by chay (@chay)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

on

Contraindicação?

Segundo a coordenadora técnica do CrossFit JB, não existe uma contraindicação para fazer a atividade, mas o ideal é que todo novo aluno consulte um médico antes de iniciar as aulas para que o professor possa adaptar os treinos, caso ele tenha alguma condição de saúde. "Tenho aluno de 70 anos com hérnia de disco, outro com necessidade especial e com a coordenação motora afetada. O crossfit é uma atividade inclusiva", explica.

Com esse diagnóstico em mãos, Natália explica que é possível adaptar os treinos para todos. “Se o aluno tem pressão alta, não poderá ficar muito tempo em isometria, por exemplo. Se tem uma lesão no joelho, a amplitude de alguns exercícios, como o agachamento, terá que ser menor. Dá para trabalhar adaptado”, fala.