VivaBem

Viver na serra pode combater diabetes, sobrepeso e problemas do coração

Getty Images
O estudo foi conduzido por pesquisadores da Universidade de Navarra, na Espanha Imagem: Getty Images

Do UOL

06/02/2017 09h59

Viver em lugares mais altos pode diminuir o risco de a pessoa desenvolver síndrome metabólica, que é uma associação de fatores de risco para doenças do coração (ataques cardíacos e derrames), vasculares periféricas e diabetes. A conclusão é de um estudo da Universidade de Navarra, na Espanha, publicado no periódico científico “Frontiers of Psychology”.

A pesquisa acompanhou 6.860 universitários por, em média, dez anos. Os estudantes que moravam em altitudes entre 457 metros e 2.297 metros acima do mar tinha menos chances de desenvolver síndrome metabólica do que os que viviam no nível do mar.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, para ter a síndrome, é necessário apresentar, pelo menos, três dos seguintes fatores alterados: gordura abdominal, hipertensão arterial, glicemia, triglicerídeos e HDL (colesterol bom). Isso significa que os participantes da pesquisa da Universidade de Navarra que moravam em lugares mais altos tinham esses indicadores sob controle.

De acordo com os pesquisadores espanhóis, a explicação para o melhor estado de saúde dos que viviam em altitudes elevadas pode estar na presença de níveis baixos de oxigênio, pressão, umidade e temperatura.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais VivaBem

Topo