Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica

Guru da neurociência dá 10 dicas para melhorar sua memória

iStock
Já colocou uma fita no dedo para se lembrar de algo? Imagem: iStock

Maria Júlia Marques

Do UOL, em São Paulo

20/09/2017 11h55

O tempo vai passando e esquecer informações começa a se tornar cada vez mais normal. Onde colocou a chave do carro, que dia marcou médico, qual o caminho até a casa de um colega...

Pois é, ficar mais esquecido conforme a idade avança é algo que todos vamos enfrentar, é nosso cérebro envelhecendo. Mas o cientista americano Paul Li pode ajudar a postergar os “brancos” da mente.

O professor de ciências cognitivas das universidades norte-americanas de Berkeley e Stanford --conhecido como um guru da neurociência no Vale do Silício, polo tecnológico na Califórnia, onde ficam empresas como Google e Facebook-- veio a São Paulo para um encontro da empresa Wish International Event Management, que atua promovendo eventos sobre soluções de conteúdo para gestores corporativos.

“Memória e aprendizado são a mesma coisa. Você só aprende quando lembra da informação e você recorda quando aprendeu o significado. Não tem remédio, então temos que preservar as recordações e estimular o cérebro. Sem memória não somos nada”, disse Li na ocasião. Abaixo, o especialista compartilhou dez dicas para você ficar afiado nas lembranças.

Salve a matéria para não esquecer e pratique

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images
    Imagem: Getty Images

    Ria ou fale alto

    É provado que pessoas lembram melhor quando tentam fazer relações entre os fatos apresentados e informações que já tinham anteriormente. Falar alto, associar um tema a uma história antiga ou até dar risada da situação cria maiores marcas dos momentos e os deixam mais fáceis de recordar.

  • Imagem: Divulgação/Princeton University
    Divulgação/Princeton University
    Imagem: Divulgação/Princeton University

    Não pare de aprender

    Quanto mais aprendemos, mais conexões criamos e mais espertos ficamos. Por isso é importante sempre tentar aprender coisas novas, independentemente do que seja. Para ter uma ideia da eficiência, pessoas bilíngues postergam o aparecimento do Alzheimer, de acordo com Li.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Tenha amigos

    Mesmo sendo alguém que não gosta de se abrir, você tem que concordar que somos animais sociáveis. Precisamos da troca com os outros seres humanos para aprendermos mais e criarmos mais lembranças. Não é à toa que ao colocar alguém de castigo o comum é deixa-lo sozinho, a ideia é que quando ficamos muito tempo sozinhos enlouquecemos. Precisamos da interação para o cérebro funcionar melhor.

  • Imagem: Juan Cevallos/AFP
    Juan Cevallos/AFP
    Imagem: Juan Cevallos/AFP

    Seja "good vibes"

    Foque na positividade e tente sempre ver o copo meio cheio. O professor explica que as informações positivas são processadas de formas mais eficientes do que as informações negativas, facilitando a lembrança. Além disso, quando você quiser se lembrar de algo que fugiu da mente tente recordar qual foi seu sentimento ao entrar em contato com a informação. Reviver os sentimentos é uma sugestão de recuperação da memória.

  • Imagem: Thinkstock
    Thinkstock
    Imagem: Thinkstock

    Malhe o cérebro

    É preciso colocar o cérebro para pensar e se manter em forma. Você podia pentelhar sua amiga que ficava horas com um caderno de palavras cruzadas e não atualizava o Instagram, mas o exercício é uma boa maneira de forçar a mente e a memória. Outra opção para os que são mais chegados nos números é o sudoku.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Ame estes alimentos

    Para continuar com memória de elefante é importante optar por alimentos saudáveis. As melhores escolhas, segundo Li, são os peixes, as frutas (principalmente berrys), vegetais, chocolate amargo (rico em flavonóides que ajudam o cérebro até em casos de derrames) e a cafeína (que aumenta a circulação de sangue no cérebro). Mas tudo com moderação, por favor.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Reproduza a cena

    Está difícil de lembrar alguma informação? Vá para o lugar onde você foi aprendeu aquilo. O professor afirmou que pessoas que aprendem uma lista de palavras embaixo d'água, por exemplo, vão lembrar melhor das informações quando mergulharem. Ou então, alunos que tem aulas enquanto sentem cheiro de canela vão melhores em provas quando sentem o cheiro de canela. É aquela velha história de você esquecer as chaves, não achar na bolsa e ir para cozinha, quando chega lá tem um clique de que deixou elas ao lado da geladeira, voltar ao local onde a perda ocorreu ajuda a relembrar.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Mexa o corpinho

    Adultos que se mantêm fisicamente ativos têm hipocampos maiores do que aqueles que são sedentários. O hipocampo é uma área do cérebro localizada perto das orelhas que trabalha guardando as memórias de curto prazo e as transformando em memórias de longo prazo. De acordo com Li, ter um grande hipocampo está relacionado a melhor performance da memória. "Mas é preciso gostar da atividade, estudos mostram que malhar forçado não traz benefícios", contou Li. Além disso, nosso cérebro precisa de glicose e oxigênio para funcionar bem e ao praticar exercícios aumentamos a circulação de sangue, responsável por levar esses itens para nossa cabeça.

  • Imagem: Reprodução/ Instagram
    Reprodução/ Instagram
    Imagem: Reprodução/ Instagram

    Relaxe e fique pleno

    É difícil manter a calma e não se estressar no meio de uma rotina enlouquecedora de trabalho, trânsito e outras responsabilidades. Porém, relaxar pode beneficiar seu cérebro. Acontece que o cortisol, hormônio que o corpo libera em situações estressantes, é capaz de matar os neurônios. Sem neurônios você faz menos conexões e terá mais dificuldade de aprender ou se lembrar. Um bom exercício para encontrar a paz e manter os neurônios vivos? Meditar.

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images
    Imagem: Getty Images

    Durma bem

    Você já sabe que dormir de sete a oito horas por noite é mais saudável, então programe-se para conseguir. Um estudo apresentado por Li, feito com estudantes da Califórnia, mostrou que aqueles que tinham melhores noites de sono tinham melhores notas. Não consegue dormir oito horas com sua rotina? O professor afirma que sonecas tem o mesmo efeito benéfico, desde que durem cerca de dez minutos e sejam tiradas antes das 15h, para não interferir no sono noturno.

Fonte: Paul Li, professor de ciências cognitivas das universidades norte-americanas de Berkeley e Stanford

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Guilherme Giorelli
Blog do Prem Baba
Blog do Dan Josua
Blog do Henrique Szklo
Mindfulness para o dia dia
do UOL
Blog Luiz Sperry
Blog do Guilherme Giorelli
Blog do Prem Baba
do UOL
Blog da Lúcia Helena
Blog do Dan Josua
do UOL
Blog da Lúcia Helena
Mindfulness para o dia dia
Estilo
Blog do Guilherme Giorelli
Blog do Prem Baba
Blog da Lúcia Helena
Blog do Dan Josua
do UOL
Mindfulness para o dia dia
Blog da Lúcia Helena
do UOL
Blog da Georgia Castro
do UOL
Blog do Guilherme Giorelli
Blog do Prem Baba
Blog da Lúcia Helena
do UOL
Blog do Dan Josua
Estilo
do UOL
Mindfulness para o dia dia
Blog do Prem Baba
BBC
do UOL
Mindfulness para o dia dia
Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
Mindfulness para o dia dia
Blog do Prem Baba
Mindfulness para o dia dia
do UOL
Blog do Prem Baba
do UOL
Mindfulness para o dia dia
Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
Topo