Topo

VivaBem


VivaBem

9 verdades e 1 mentira sobre o seu corpo durante o sono

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL

2017-04-19T15:23:52

19/04/2017 15h23

Afinal, o que é verdade e o que é mentira quando se trata da hora de dormir? Confira abaixo nove verdades e uma mentira sobre o sono e aprenda mais sobre o que pode ajudar (ou não) a garantir um descanso tranquilo.

  • Um hormônio produzido durante o sono controla toda a saúde. É verdade!

    A melatonina é tão poderosa para o ciclo do sono e manutenção do organismo que seu apelido é "hormônio do sono". A substância é produzida no escuro pela glândula pineal --localizada na parte central do cérebro-- e, assim que o corpo a reconhece, assimila que é hora de dormir. Por isso, se você estiver em um local iluminado, mesmo que pela luz emitida pela celular, a produção diminuirá e o organismo receberá o recado de que ainda é dia. Quando a produção de melatonina está prejudicada, o relógio biológico fica desregulado e todos os demais hormônios param de funcionar corretamente, causando não só distúrbios de sono, como também uma série de problemas à saúde. Entre eles, obesidade, diabetes, envelhecimento precoce e hipertensão.

  • Tomar leite quente funciona (mas melhor se for adoçado). É verdade!

    Sua mãe estava coberta de razão. A temperatura do leite quentinho é reconfortante e ajuda a relaxar. Mas não é só isso. A bebida é fonte de triptofano, um aminoácido que é precursor da serotonina, o "hormônio da felicidade". Mas agora vem o grande truque dessa receita de bem-estar: O leitinho quente funciona muito mais quando é adoçado, com mel ou açúcar. Isso porque, o açúcar (um carboidrato) é o que ajuda a absorção do triptofano no organismo

    A combinação pode ser ótima para melhorar a qualidade do sono, principalmente para quem tem mais dificuldade de desligar o cérebro antes de dormir. A temperatura morna do leite é reconfortante, ajudando o corpo a relaxar. Além disso, o alimento é fonte de triptofano, aminoácido que melhora o bem-estar e prepara para o sono. Já o mel, além de também ser fonte de triptofano, é uma fonte de carboidrato simples, que também ajuda no sono, pois facilita a absorção do triptofano no organismo. Como resultado, mais relaxamento.

  • Seu corpo faz uma proteção natural contra seus sonhos. É verdade!

    Os músculos ficam muito relaxados durante o sono, mas isso tem uma razão maior além de descansar o corpo. Quando você entra na fase mais profunda do sono, o cérebro ativa um relaxamento programado para você não "agir" durante os sonhos. Existe uma doença rara, o distúrbio comportamental do sono REM, em que a pessoa acaba 'representando' o que vê em sonhos de maneira bem física. A pessoa pode bater com a cabeça na parede enquanto dorme, por exemplo. Mas o normal é organismo nos proteger dessas possíveis reações aos sonhos e que possam nos colocar em riscos.

  • Seus olhos nunca param de mexer. É verdade!

    Os músculos ficam mais relaxados, mas seus olhos seguem se movendo mesmo no sono mais profundo e com as pálpebras fechadas. Não é preciso ficar assustado: isso é normal! Somos muito influenciados pelo sentido da visão e pela luz. Sendo assim, durante o início do sono, temos movimentos oculares lentos e, durante o sono REM, os olhos se movimentam rapidamente e isso está relacionado aos sonhos.

  • A privação de sono deixa você mais irritado. É verdade!

    Os neurônios do nosso cérebro são responsáveis pela produção de um hormônio neurotransmissor chamado de serotonina, o hormônio da felicidade. É ele que promove a sensação de bem-estar e responsável por baixar os níveis de estresse no nosso corpo. Mas quando o sono é de má qualidade, o cérebro não tem tempo de melhorar a comunicação entre os neurônios e a produção de serotonina cai, e o resultado é muita irritação e mau humor ao longo dia. O perigo da privação de sono crônica é que pode favorecer algo mais sério, como um quadro de depressão

  • A sua garganta pode se fechar. É verdade!

    Para quem reclama dos roncos dos companheiros de colchão, eis aqui um dos culpados pelo ruído... Durante o sono, ocorre o relaxamento muscular da faringe e garganta. Em algumas pessoas, principalmente homens acima dos 45 anos e pessoas acima do peso, pode ocorrer o fechamento dessa região, que é a apneia do sono (pausas na respiração).

  • Seu cérebro faz uma limpeza na memória. É verdade!

    O cérebro é um órgão muito ativo e, durante o dia, produz elementos potencialmente perigosos. Durante o sono, o líquido raquidiano (que envolve o cérebro) remove esses resíduos. É como se fosse um caminhão de lixo que passa de noite em uma cidade recolhendo a sujeira. Não são só resíduos sólidos que o cérebro aproveita para limpar enquanto você dorme - as memórias do dia também são filtradas e descartadas, conforme o caso. É o momento quando consolidamos aquilo que aprendemos enquanto estamos acordados.

  • Acontece uma manutenção geral no seu organismo. É verdade!

    Sabe aquela brincadeira sobre a pessoa ir para "o sono de beleza"? Pois saiba que isso tem um fundo de verdade. O sono é importante, entre outras coisas, para ajudar a manutenção de seu corpo. O hormônio do crescimento, por exemplo, atinge seu pico de produção durante as fases mais profundas do sono. Entre outras funções, ele ajuda na manutenção do tônus muscular e na renovação das células.

  • Seu corpo produz hormônios para você sentir menos fome. É verdade!

    Um desses hormônios está relacionado ao controle do peso. Precisamos dormir bem para secretarmos leptina, substância que é responsável pela saciedade. E, quando nosso cérebro entende que o corpo está satisfeito, a tendência é consumirmos apenas o necessário para matar a fome, evitando os excessos que levam aos quilinhos a mais.

  • Álcool ajuda a dormir melhor. É mentira!

    Tomar uns drinques antes de dormir pode até dar aquela sensação de relaxamento inicial, mas sua noite de sono será prejudicada. A bebida relaxa a musculatura como um todo, inclusive a do pescoço, com isso são mais comuns episódios de apneia do sono (pausa na respiração) e ronco. A pessoa pode acordar vária vezes ao longo da noite, o que afeta a reparação completa e do organismo e descanso do corpo. E, no dia seguinte, pode esperar por um dia de irritação fruto da noite mau dormida.

    Fontes consultadas: Geraldo Lorenzi Filho, pneumologista e diretor do Laboratório do Sono do Incor, em São Paulo; Lia Bittencourt, pneumologista e médica do Instituto do Sono, em São Paulo; Bruno Halpern, endocrinologista e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Mais VivaBem