Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor

7 motivos que farão você repensar o consumo diário dos sucos de caixinha

iStock
Imagem: iStock

Cintia Baio

Colaboração para o VivaBem

22/11/2017 09h33

Os sucos de caixinha são práticos e vistos como uma boa saída para quem quer evitar refrigerantes, mas não consegue ficar só na água. O problema é que tais bebidas são compostas por grande quantidade de açúcar, conservantes e corantes artificiais. Quando consumidos em excesso, esses compostos podem causar desde alergias e aumento de peso até alteração na taxa de açúcar do sangue, diabetes e sobrecarga de fígado e o pâncreas.

Portanto, na hora de escolher um suco do tipo, a regra do “menos é mais” deve ser levada a sério. Quanto menos ingredientes, melhor. Lembre-se que quanto mais ingredientes com nomes esquisitos, pior a qualidade nutricional do suco.
 

7 motivos para repensar o consumo do suco

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Eles podem ter tanto açúcar quanto o refrigerante

    Embora por fora as caixinhas sejam parecidas, há uma grande diferença entre os tipos de sucos vendidos no supermercado. Os néctares são os mais baratos e populares. A maior parte da bebida é composta por uma mistura de água, açúcar e aditivos químicos. E, por isso, são mais calóricos. Para se ter uma ideia, em 2014, uma pesquisa do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) constatou que alguns néctares traziam mais açúcar que refrigerantes. Cinco das 31 marcas analisadas, por exemplo, traziam em torno de 25 gramas em 200 ml da bebida. Na mesma quantidade de refrigerante, tem 21 gramas em média.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Nos néctares, a fruta é praticamente coadjuvante

    Para cada fruta, a legislação brasileira exige uma concentração mínima de suco dentro da caixinha (entre 30% e 40%). O problema é que, na maioria dos casos, as empresas trabalham exatamente com a dosagem mais baixa permitida. Na lista de ingredientes que completam "o suco", estão o açúcar, a água e uma série de corantes e essências artificiais. Quando consumidos em excesso, esses ingredientes podem causar alergias e prejudicar o bom funcionamento de alguns órgãos.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Nem sempre o sabor é apenas o da fruta principal

    Se você reparar bem nos rótulos de alguns sucos de caixinha verá que, além do suco da fruta vendido como "principal", existem outros. É o caso de muitos sucos de uva que trazem a maçã como componente. O acréscimo serve para baratear a produção e também para manter o produto no mercado, mesmo quando a fruta está fora da época.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Suco tem mais caloria que a própria fruta

    Sucos em geral, mesmo os naturais, tendem a ser mais calóricos que o consumo da própria fruta. Primeiro, por conta do consumo: usamos cinco laranjas para beber um copo, mas não comemos cinco laranjas de uma só vez, por exemplo. Além disso, as frutas já possuem seu açúcar natural, a frutose. Quando a fruta vira suco, ela perde fibras (que ajuda a deixar a absorção do açúcar mais lenta). Como consequência, a absorção do açúcar fica mais concentrada, causando os picos de glicemia no sangue. Com isso, a sensação de saciedade é comprometida. Os picos de insulina também contribuem para o desenvolvimento de diabetes. No caso dos sucos industrializados, além da frutose, há o acréscimo de mais açúcar.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Sucos integrais e de vidro escuro são os melhores

    Dê preferência aos sucos de caixinha chamados de integrais. Para isso, veja se no rótulo da está indicado que contém 100% de suco, sem adição de açúcares, conservantes ou qualquer outro ingrediente. Em alguns casos, os sucos de caixinha integrais podem fazer parte da lancheira da criança (mas não com frequência), já que sucos naturais preparados com antecedência perdem boa parte de seus nutrientes em contato com a luz e o oxigênio.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Não é recomendado para crianças menores de 1 ano

    Embora muitas mães esperam ansiosas pela introdução do suco na alimentação dos bebês, a bebida não é recomendada para crianças com menos de um ano de idade, de acordo com a Academia Americana de Pediatria e reforçado pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Nessa idade, o suco (inclusive o natural) é visto como um alimento pobre em fibras e rico em açúcar, o que contribui para o ganho inadequado de peso. Segundo alguns especialistas, é preferível sempre que a fruta seja consumida ao natural pelas crianças. Após o primeiro ano, os sucos naturais e os integrais (aqueles de caixinha, mas compostos por apenas fruta) são liberados em pequenas quantidades que não devem ultrapassar 120 ml por dia.

  • Imagem: iStock
    iStock
    Imagem: iStock

    Sucos light podem ter pegadinhas

    Embora os sucos light sejam vistos como uma alternativa para quem não quer ganhar peso, eles continuam sendo pobres em nutrientes, já que ainda trazem muitos conservantes e, em alguns casos, quantidade elevada de sódio. Apesar de conter menos calorias por conta da redução do açúcar adicionado, eles trazem adoçantes em sua composição. Quando consumidos em excesso, os adoçantes podem estar associados ao desenvolvimento de resistência insulínica (condição pré-diabetes).

Fonte: Fontes: Nelson Douglas Ejzenbaum, pediatra e neonatologista, membro da Sociedade Americana de Pediatria; Susana Hoffmann, engenheira de alimentos; Aletéa Martins, nutricionista e Isabela Sattamini, nutricionista e doutoranda do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da USP (Universidade de São Paulo).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog da Verônica Laino
Blog do Henrique Szklo
do UOL
do UOL
Agência Estado
Blog da Georgia Castro
do UOL
do UOL
Chef Funcional
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
do UOL
do UOL
Blog Marcio Atalla
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
Blog Nutrição sem neura
Chef Funcional
Blog da Lúcia Helena
Blog da Verônica Laino
Blog da Georgia Castro
Chef Funcional
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
do UOL
Blog Marcio Atalla
Blog da Lúcia Helena
do UOL
Chef Funcional
Blog Nutrição sem neura
do UOL
do UOL
Blog da Verônica Laino
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
Blog da Georgia Castro
Chef Funcional
do UOL
do UOL
do UOL
Topo