menu

Topo

Dieta da sopa

iStock
Dieta da sopa prioriza o prato e é usada para perdas de peso em períodos curtos Imagem: iStock

14/01/2019 04h00

Um dos regimes mais famosos no Brasil, a dieta da sopa substitui uma ou mais refeições por um caldo. Normalmente se recorre a ela para fazer um detox depois de períodos de exagero (como as festas de fim de ano) ou parar perder um pouco de peso para alguma ocasião especial

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL
No entanto, mesmo que o método seja aparentemente eficaz no emagrecimento, não dá para garantir que seja saudável. "Esse peso perdido pode estar saindo da gordura, água ou do músculo. Ou seja, nem sempre é um bom resultado a médio e longo prazo", pondera o nutrólogo Guilherme Giorelli, diretor científico da Associação Brasileira de Nutrologia do Rio de Janeiro (ABRAN-RJ).

Por isso, ela ficou em 15º entre as 16 dietas avaliadas no Ranking das Dietas do UOL VivaBem. Entenda melhor como ela funciona:

Como funciona a dieta da sopa?

Durante a dieta da sopa, como já foi dito, uma ou mais refeições são substituídas pelo consumo de um caldo. Como limita bastante a ingestão de calorias, o recomendado é segui-la por 7 dias até um mês, no máximo. De preferência, a sopa deve entrar em uma ou duas refeições diárias - almoço e jantar.

Há quem opte também por substituir as refeições intermediárias (além do almoço e do jantar) por um caldo, o que torna o regime bem mais restrito e difícil de levar adiante. Se escolher esse segundo modelo, o ideal é limitá-lo a uma semana de duração e depois voltar a comer sólidos (ou alimentos que não sopa) entre as refeições principais. 

O que pode comer na dieta da sopa?

A ideia é consumir caldos nutricionalmente ricos e equilibrados, porém com poucas calorias, em uma ou mais refeições do dia. Mas não se trata de pegar tudo o que tiver na geladeira, cozinhar e pronto --isso pode acabar deixando o prato calórico demais. 

A sugestão é escolher um tubérculo ou raiz (inhame, batata, batata-doce, mandioquinha, mandioca) e duas ou três variedades de legumes e verduras (repolho, couve, acelga, aipo, vagem, espinafre, abóbora, cenoura, chuchu etc). É possível também acrescentar uma proteína animal (peito de frango desfiado ou carne).

Os ingredientes devem ser cozidos e não podem ser batidos no liquidificador, mas apenas amassados ou parcialmente processados (de modo a deixar pedaços grandes) a fim de preservar as fibras e estimular a mastigação, o que ajuda na saciedade. 

Acompanhamentos como croutons e queijo parmesão devem ser trocados por porções pequenas de sementes (de girassol, abóbora ou chia) ou granola salgada. Importante: a água do cozimento dos vegetais deve ser sempre aproveitada, pois concentra as propriedades nutricionais dos alimentos. 

A dieta da sopa emagrece?

Sim, e isso se dá tanto pela restrição calórica como pela eliminação de líquidos retidos no organismo --que também pesam na balança e muitas vezes a gente acha que é gordura. O método permite secar até 3 kg por semana com segurança. 

O café da manhã, os lanches entre as refeições principais e os líquidos consumidos ao longo do dia (sucos, chás, leite) precisam ser escolhidos com cautela para evitar ingestão de calorias em excesso e picos de fome, o que colocaria a perder os resultados de emagrecimento da dieta. O ideal é optar por gorduras boas, proteínas magras, frutas frescas e sucos naturais (em vez dos de caixinha) durante o processo.

Sopas industrializadas não devem ser consideradas no cardápio, a menos que sejam opções sem conservantes e excesso de sódio. Temperos prontos precisam ceder lugar a ervas e o mínimo de sal na hora de preparar as receitas.  

A dieta da sopa traz benefícios?

A perda de líquidos pode se refletir na diminuição da celulite e no aumento do bem-estar geral. O intestino também passa a funcionar melhor, contanto que se siga a recomendação de preparar as sopas sem bater completamente os ingredientes e, com isso, preservar o máximo de fibras. Com o intestino trabalhando como deve para eliminar toxinas, a tendência é melhorar também a disposição, o humor e a aparência da pele.

Outra vantagem é o potencial antienvelhecimento da dieta, dependendo da escolha de vegetais usados nas preparações e das frutas consumidas nos outros momentos do dia. Fontes de vitamina A (abóbora, cenoura, espinafre, manga), C (pimentão, tomate, brócolis, inhame, abóbora, acerola) e E (couve, espinafre, inhame, castanhas), além dos minerais zinco (cereais, semente de abóbora, ovos), selênio (castanha-do-pará, carnes vermelhas, aveia) e magnésio (leite, semente de abóbora, nozes) são antioxidantes e combatem naturalmente os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células.

É segura?

Essa dieta pode ser feita, desde que respeitados o limite de tempo seguindo o programa --um mês, no máximo -- e o equilíbrio de nutrientes usados nas receitas, a fim de garantir uma nutrição adequada e evitar fraqueza e perda de peso exagerada. É possível, ainda, repetir a dieta com intervalo de dois ou três meses entre os ciclos como opção de detox rápido.  

Quem tem histórico de transtornos alimentares não deve seguir o método, já que a restrição pode desencadear episódios de compulsão. 

Esse tipo de dieta não é indicado para quem pratica atividade física regularmente muito menos para quem pega pesado na academia. Gestantes, idosos, crianças e pessoas passando por qualquer tratamento de saúde também não devem fazer.

Algumas pessoas podem sentir tontura e perceber queda de cabelo, unhas fracas e alterações na pele (ressecamento e aparecimento de acne, por exemplo) ao seguir a dieta por muito tempo ou limitando demais a ingestão de nutrientes. O organismo acaba usando suas reservas de nutrientes para obter energia e podem faltar vitaminas e minerais importantes para a manutenção dessas estruturas.

Receita de sopa gelada

Um dos inconvenientes da dieta da sopa é que no verão a motivação para comer alimentos quentes diminui, não é verdade? Por isso esta receita de gaspacho, sopa espanhola fria de tomate e pepino, vai ajudar a seguir firme no regime. A receita é da apresentadora Rita Lobo, apresentadora do programa Cozinha Prática, no canal GNT, e dá para levar na marmita do trabalho com a vantagem de não precisar aquecer antes de comer!

Ingredientes

  • 1 fatia de pão amanhecido
  • 200 ml de suco de tomate 
  • 1 rodela de pimentão vermelho
  • ½ pepino japonês
  • 1 dente de alho
  • ½ colher (sopa) de vinagre de vinho tinto
  • ½ colher (sopa) de azeite
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Como fazer

No copo do liquidificador, coloque o pão e cubra com o suco de tomate. Deixe amolecer enquanto descasca e pica os demais ingredientes. Junte o pimentão, o pepino e o alho e bata. Adicione o vinagre e o azeite e bata até formar um caldo homogêneo. Tempere com sal e pimenta, misture e sirva. Se quiser, deixe antes alguns minutos na geladeira para ficar mais refrescante. 

Reportagem: Marcia Di Domênico

Fontes: Marcella Garcez Duarte, médica nutróloga e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia no Paraná; e Heloisa Soares Gersgorin, médica nutróloga de Brasília (DF); Caroline Lemos, nutricionista da clínica NutriCilla (SP).
 

Mais Ranking das Dietas